16 de abr de 2015

Eu e minha nova amiga Ansiedade ~*

Bom dia, estrelinhas ~*

Acabei de vir do meu tratamento de felicidade diário, ou como gosto de brincar o meu momento de princesa, onde me dedico a cuidar da minha pele. Um hábito que vem vindo pra ficar :)

Acontece que eu estava refletindo (sou dessas de refletir nesses momentos alone que me inspiram) e parei para pensar em escrever um post sobre algo que descobri agora em 2015, uma nova amiga que muitas de vocês talvez já conheçam chamada Ansiedade (nome próprio leva letra maiúscula na frente).



Eu não vou mentir para vocês que nunca soube o que ela é na minha vida porque sempre tive um defeito para muitos e uma qualidade para outros chamado Orgulho.

Sim, eu sempre fui muito orgulhosa de mim mesma. Eu me olhava no espelho e não deixava nada cair. Não importa o quanto minha amiga Solidão (que eu vou falar em outro post) me importunava por ser diferente. Eu tinha orgulho de estar entre os mais inteligentes da minha turma, de pensar a frente da minha idade, de me vestir diferente de todas as outras meninas, de saber jogar video-game muito bem, de não acompanhar as tendências do momento que a mídia manda, de saber desenhar... Enfim, eu tinha orgulho demais de quem eu era. Eu digo no passado porque eu não sou tão orgulhosa como eu era, tenho mas menos. Mas não se preocupem eu nunca fui arrogante com ninguém, era só uma forma de gostar demais de mim mesma, mesmo pensando só na minha mente que eu podia ser melhor que muita gente.

O Orgulho eram as paredes da minha fortaleza interior, o que mantinha e ainda mantém o meu pensamento positivo, lema da minha vida que nunca me fez desistir! Porque mesmo que tudo esteja contra o fluxo dos meus ventos, que parece que não tem a droga da luz no fim do túnel, eu sabia que não podia desistir. Porque só com as forças do meu pensamento positivo que eu poderia seguir em frente e ser a pessoa que sou.

Só que chega um dia que a gente cresce. O mundo faz a gente enxergar com uma parte das coisas com olhos de adulto, para alguns talvez seja uma visão total. Mas como artista a minha criança nunca vou deixar morrer. E quando isso acontece a gente passa a perceber coisas que talvez sejam idiotas mas que faz a gente se cansar de certos aspectos da vida. Como aquela amiga Solidão que vem e volta sempre para me torrar a paciência. Mas como disse, a história da Solidão é assunto para outro post...

Mas porque só agora em 2015 eu passei a ver que sofria com a Ansiedade?
Porque infelizmente ela veio me agredir fisicamente. Como sentir coceiras ou mexer com meu sistema digestório. Eu até não duvido que esse irritação nasal da última semana não proveio dela.

Chega um dia na nossa vida que a gente percebe que está se tornando adulto. E... E aí que nem eu sei. Parece que a gente é jogado na virada de um ano de um barranco ou que vou pular a onda e caiu de cara na água salgada ao invés de trazer sorte.

Mas graças ao meu pensamento positivo eu estou encarando essas coisas como uma forma de aprendizado e de aprender a crescer. Como aquela marca no meu nariz que no último vídeo que está bem escura, então é um vaso estourado que tenho no meu nariz há 10 anos eu sempre tive medo de tirar e semana passada eu finalmente fui tirar. Ou o fato de ter feito uma cirurgia esse ano. Ou de ter que tirar carta (e agora percebo que ela vai ser jogada ao vento, mas ok). Ou ter que encarar meus medos dentários. Ou do fato que semana que vem vou estar indo ao consulado.

Sim, vou estar indo ao consulado para tirar um visto. Se tudo estiver alinhado ao meu favor vai tudo dar certo e vou poder dar uma ótima notícia para vocês semana que vem.

A Ansiedade me deu raiva ultimamente. Sabe eu nunca deixei as coisas me afetarem emocionalmente aparente para as pessoas. Exceto para minha psicóloga que passei há uns anos atrás. Mas as coisas ruins sempre me afetam de forma aleatória fisicamente.

Essa sensação de cair na água salgada me fez pensar sobre o quanto eu estava cuspindo ela. E que o gosto era ruim demais. Parecia que eu não ia conseguir tirar o gosto ruim. O que eu deveria fazer?

Foi assim que eu vim parar aqui, pensando em como estou tentando superar esses sintomas físicos. Quase sozinha, pois sei que tenho minha família. Mas em termos emocionais eu resolvo sozinha na maior parte sempre. Eu aprendi a viver assim, nos momentos que eu gosto ou não. E como compartilhar com vocês como superar ou pelo menos aguentar isso?

Bom, aí a gente volta lá pro começo do post no tratamento de felicidade. Cada sentimento ruim eu não consigo resolver pensando nos meus sentimentos internamente. Só transferindo essas coisas para algo externo (meu Se de INFJ). E assim eu passei a controlar a ansiedade com um novo tratamento de felicidade: cuidados com a minha pele.

Eu sempre tenho consciência das coisas que acontecem comigo (exceto uma vez, mas isso não vem ao caso agora). Eu sei que essa confusão de sentimentos só vai parar enquanto minha vida nova tomar rumo. Eu sei que o fato de eu estar passando a maior parte do tempo em casa também tem haver.

Mas eu percebi que a melhor forma de superar isso, pelo menos de deixar a chatice só pro efeitos físicos, é deixar pra lá. Em pensar tudo como uma experiência positiva mesmo que seja encarar um dos maiores medos da minha vida.

Assim eu me distraio e faço algo totalmente produtivo!

Sim, eu cuido da minha pele fazendo limpeza e hidratação! E outra coisa, o meu querido Pote. O blog se torna meu cantinho para criar coragem! Assim o cuidado aumenta minha auto-estima e o blog me dá coragem.
Eu deixo um agradecimento especial para minha amigas que também fazem parte do AFLBN, pois elas me levaram mesmo que indiretamente a escrever mais. E o carinho que vocês queridos seguidores deixam aqui no blog ou mesmo em cada like que dão no canal.

Escrever ou gravar vídeos estão me fazendo crescer. E deixar meus pensamentos rolarem para ajudar alguém do outro, nem que seja se identificando na mesma coisa que eu estou no ritmo.

Por isso, essa é minha sugestão para vocês. Deixe a sua amiga Ansiedade pra lá. Pense positivo e mesmo que pareça tudo pra dar errado, não desista. SEJA VOCÊ! :)

Ouça aquela música que te dá auto-estima um milhão de vezes no modo repetir até fazer você sorrir enquanto faz algo que só aumente seu sorriso.

No caso, estou eu aqui ouvindo Coldplay - Sky Full of Stars enquanto termino de digitar esse post com esperança que eu possa te fazer dar um leve sorrisinho e que pense na possibilidade de não desistir. ~*

4 comentários:

  1. É como se você tivesse adivinhado o que estou sentindo e tivesse escrito para mim, da para entender?
    São tantas coisas que acontecem e quase sempre acabo desanimada, e sinto a mesma coisa referente ao AFLBN... o grupo me motiva e me faz não desistir!
    Saiba que suas palavras fizeram meu dia mais colorido e com certeza vai fazer de outras pessoas também <3
    É sempre importante nos amar e acreditar em nós mesmos!
    Obrigada, Hoshi <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz em saber que pude fazer seu dia mais colorido ! <3
      Não imaginei que conseguiria tão rápido assim alguém do outro lado com o meu pequeno devaneio.
      Por tanto, vamos continuar acreditando e não desistir, Nana! \o/

      Excluir
  2. É um post de desabafo, mas que a gente consegue se identificar facilmente!
    Espero que fique tudo bem com você, Hoshi! <3
    E quero ouvir essa notícia - que sei o que é!! - confirmada! o/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, acaba sendo um desabafo ao mesmo tempo que uma reflexão :)
      Obrigada, Sayaka!
      Vamos torcer para que sim ~*

      Excluir

Obrigada por ler e comentar ~*